Sobre o Blog

O dedireita.com é um blog criado para responder de forma competente porque somos de direita. Responder às questões políticas e ideológicas as quais estamos expostos na mídia ou no próprio dia a dia com colegas e familiares. Vivemos em um mundo em que a mídia, as empresas e as instituições educacionais estão em militância pró esquerda a todo tempo, é uma miopia no mundo, onde tudo tem causas sociais. A causa para qualquer pergunta ou acontecimento na sociedade é o preconceito subdividido na trindade da esquerda brasileira: Racismo, machismo e homofobia; e a resposta para qualquer problema é desconstrução de padrões sociais.

Os representantes de direita que possuímos no mundo demonstram coragem ao não aceitar serem culpados por todos os males no mundo, ao não aceitar que inocentes sejam condenados socialmente simplesmente porque há alguém mais fraco que eles, ou que pessoas percam oportunidades porque alguém se intitula como minoria (mesmo que alguns casos sejam a maioria de um país).  Porém a forma como a direita se defende tanto no Brasil como no mundo é incapaz, demonstram despreparo, falácias e entram na armadilha lógica e filosófica do esquerdismo de considerar o social como início, meio e fim de toda a humanidade.

Eu, Lucas, autor desse blog, tentei como todos, responder as falácias nas mídias sociais e em debates normais em minha faculdade, igreja e serviço. Porém, com o passar do tempo fui percebendo que não era o bastante, a militância pró esquerda, por estar muito difundida nos centros acadêmicos, com a paixão histórica da esquerda por propaganda política e com fundadores que pautaram suas ideologias em cima da engenharia social; utiliza muitas das técnicas de marketing digital, design digital e User Experience em suas campanhas. Um argumento fraco se torna uma ilustração com apelo emocional, uma situação que já é combatida pela sociedade se torna uma história de partir o coração ou de matar de raiva, piadas se tornam o mal da humanidade (com a exceção do Porta dos Fundos, que tem toda a licença mundial para fazer piadas desrespeitosas, em especial contra os evangélicos) e humoristas são equiparados a terroristas.

Argumentar de forma contundente nos comentários de postagens já não era mais o suficiente ou ao menos levado em consideração pelos de esquerda. Os expoentes de direita, tentavam utilizar das mesmas técnicas, mas as argumentações continuavam inferiores e fracas, sendo necessário exageros e falácias para poder gerar uma resposta à esquerda, mesmo que uma resposta protocolar. Na réplica, perdia-se a disputa, e a cada disputa perdida no campo de batalha ideológico da sociedade perde-se uma pessoa que estava neutra na disputa (na verdade perdem-se várias pessoas).  Quando eu tentava argumentar, tentava fazê-lo por texto, de forma a responder as disputas sem utilizar o sentimentalismo e tentando alcançar apenas a lógica, logo vinha alguém e argumentava mal e porcamente por cima do meu comentário coisas como “Chora mais” e “Vamos oprimir”, ou começava a jogar vários links de vídeos, como se isso fosse argumentação, da mesma forma que a esquerda faz ao mandar estudar.

Este cenário motivou a criação do dedireita.com. Percebi que meus argumentos são longos demais para serem colocados em um comentário do Facebook, e isso favorecia à esquerda. Sendo assim, penso que um direitista puder ter um local de onde tirar argumentos corretos e embasados, isso favorecerá nossa sociedade de forma salutar. Essa é a forma de contribuição que escolhi para ajudar a sociedade o indivíduo. Essa é a razão de existência do dedireita.com.

A noção de que o social e o cultural são a soma de todas as naturezas as quais o ser humano está exposto é o início do pensamento hábil. Por isso não deveríamos começar as discussões pelo viés social ou cultural, deveríamos começar pelas bases, as ciências da natureza. E é isso que vamos compreender neste blog.

“O mundo não começa no social”